Bem vindo a portal rock press 21 anos!
  Olá Anônimo!
Busca  
vinteum: Black Keys, The Big Come Up
Quinta-feira, 8 de Maio de 2014 (20:31:37)

 

Blues de garagem, blues de branco, blues é hype?





+ 21 clássicos do novo milênio

BLACK KEYS

The Big Come Up

 

Por Marcos Nascimento

 

Com seu disco de estreia o Black Keys manteve a tradição do Delta do Mississipi em voga mais uma vez, desde que os ingleses beberam doses cavalares dos discos de blueseiros americanos e foram responsáveis pelo resgate do gênero, que andava em baixa nos anos 60 e conseguiram que muitos dos grandes artistas pudessem ter seus ramos de glória antes de morrerem em completo anonimato. Londres tornou-se a Meca do Blues até que os americanos novamente se dessem conta da riqueza pessoal que estavam renegando.

Howlin’ Wolf, Muddy Watters, B.B.King, John Lee Hooker, Big Bill Broonzy e até mesmo pioneiros do rock’n’roll como Chuck Berry e Bo Diddley tiveram a chance de ir pra Inglaterra e gravar com a geração que tanto os idolatrava. Seria difícil pensar que bandas como Led Zeppelin, Fleetwood Mac, Yardbirds, e John Mayall and The Bluesbreakers existiriam sem essa influência. Além de todos os guitar heros da época serem tocadores de blues como Page, Clapton, Jeff Beck e Hendrix, Mick Taylor, Peter Green e outros.

O duo que compõe o som cheio e cru desse primeiro disco tirou o nome da banda de um amigo esquizofrênico que dizia que certas pessoas com energias negativas são como chaves negras. Patrick Carney, baterista e produtor, e Dan Auerbach vocais e guitarras, querem a carne e o sangue do velho corpo santificado do Blues. Por isso a cor da pele é o que menos importa, quem se dedica a tocar o gênero com vigor, dedicação e entrega não necessariamente precisa ter sido banhado nas aguas dos afluentes do famoso Delta ou ido para uma encruzilhada à meia noite.

Dan Auerbach sabe o caminho e expõe nas canções curtas o quanto deve ter ficado no porão tocando acompanhado de seus álbuns preferidos. Aprendeu os tempos, as frases e o modo seco e sem firulas que os grandes da época faziam, ela costuma dizer que seu favorito é o blueseiro Junior Kimbrough e presta homenagem regravando a canção Do The Rump, a banda posteriormente faria um Ep exclusivamente com músicas dele chamado Chulahoma em 2006. Um grande tributo ao musico morto em 2008.

Destaques para as canções autorais “I’ll Be Your Man’’, “The Breaks” e “Brooklyn Bound”. Onde ficam claras as qualidades que fizeram a fama da banda, em riffs, vocais e intensidade. Além de uma cover dos Beatles em que a ponte USA-Inglaterra é feito com maestria, com muito reverb nas cordas e no vocal.

Hoje o grupo é produzido pelo incensado Danger Mouse, faz shows para grandes plateias e perdeu a característica blues de garagem para poucos mas alcançou um público bem maior do que este primeiro álbum poderia supor aos seus ouvintes.

 






 
 Links relacionados 
· Mais sobre Rock Press
· Notícias por admin


As notícias mais lidas sobre Rock Press:
Tudo que você queria saber sobre o U2


 Opções 

 Imprimir Imprimir


Tópicos relacionados


Desculpe, comentários não estão disponíveis para esta notícia.

Todos os Direitos Reservados Portal Rock Press ©

PHP-Nuke Copyright © 2005 by Francisco Burzi. This is free software, and you may redistribute it under the GPL. PHP-Nuke comes with absolutely no warranty, for details, see the license.