Bem vindo a portal rock press 21 anos!
  Olá Anônimo!
Busca  
acepipes: Michael Monroe, Hanoi Rocks
Sexta-feira, 29 de Junho de 2012 (19:43:15)

 

A apresentação única no Brasil do frontman do Hanoi Rocks e sua super banda desencadeou a pergunta que não queria calar: mas quem é Michael Monroe?!



 

 

 

QUEM É MICHAEL MONROE?!

Por Max Merege

 

A única apresentação no Brasil de Michael Monroe e sua super banda, formada por músicos do mais alto quilate - Steve Conte (New York Dolls) e Dregen (Hellacopters, Backyard Babies) nas guitarras, Sammi Yafa (Hanoi Rocks, Joan Jett, New York Dolls) no baixo, e Karl Rockfist (Danzig) na bateria - aconteceu dia 25 de maio no Inferno Club, em São Paulo (leia mais sobre o show no final da matéria).

Um mês antes, pequenos e bem humorados video-teasers com recados da banda sobre a fissura para conhecer o Brasil já circulavam pela rede. Quanto ao show, pode-se dizer que teve um bom público, embora pequeno ante a importância do evento, regado a um repertório de clássicos que remontam a uma trajetória de três décadas de trabalho suado de Monroe - sucessos que, mesmo não tendo lhe rendido dividendos bilionários, tornaram-no uma das criaturas mais cultuadas da história do rock.

O finlandês Matti Antero Kristian Fagerholm, ou simplesmente Michael Monroe, é sem dúvida uma das figuras mais importantes que o rock produziu nos últimos trinta anos e tornou-se referência obrigatória para quem aprecia a honestidade musical.

A mesma Finlândia que hoje exporta para o mundo Klamydia, Him, Flaming Sideburns, Korpiklaani, mais uma infinidade de nomes do metal sinfônico, e cujo hardcore rápido e direto tanto influenciou o punk e o metal brasuca nos anos 80 e 90 - vide a forma carinhosa e respeitosa como João Gordo e os irmãos Cavalera se referem a nomes como Kaaos, Rattus, Tervet Kadet - exerceu também um papel fundamental na reformulação do chamado Glam Rock, ao final dos anos setenta com os primeiros punks da região.

Hanoi Rocks

Nos idos de 1980, meninos que até há pouco acompanhavam grupos como Pelle Miljoona e Briard, juntavam-se para fazer algo novo e muito diferente também. Andy McCoy, Sammi Yafa, Nasty Suicide, e é claro, Michael Monroe, formavam então a banda de glampunk Hanoi Rocks.

O que a princípio deveria ser uma versão mais envenenada dos lendários New York Dolls, superou todas e quaisquer expectativas, conseguiu atrair para si os olhares do mundo, levando-os a se mudar para Londres. No entanto, seus maiores fãs - e imitadores - encontravam-se mesmo do outro lado do Atlântico: Mötley Crüe, Guns N'Roses, Skid Row, Poison e Faster Pussycat eram apenas alguns dos que copiavam a glamourosa trupe escandinava, banda mãe do "hair metal".

De sonoridade festeira e visual espalhafatoso, fizeram um alvoroço só! Colecionam hits que são verdadeiros clássicos: “Taxi Driver”, “Motorvaiting”, “Up Around The Bend”, “Mistery City”, “Malibu Nightmare”, “No Law Or Order”, “Don't You Ever Leave Me” etc; contudo no final de 84, morre o baterista Razzle em um acidente envolvendo Vince Neil (Mötley Crüe), Sammi Yafa por sua vez deixa o grupo e banda se desmantela.

Ainda que em 85 o Hanoi Rocks não mais existisse oficialmente, todos seus integrantes mantiveram estreito contato entre si, participando ativamente dos trabalhos uns dos outros. Exemplo claro disso foi o Demolition 23, um projeto "solo" de Monroe que conseguiu a proeza de reunir toda a formação clássica da banda.

Muito além da Finlândia...

Já vivendo em Nova York, Michael Monroe fez-se presente de todas as maneiras ao tornar-se amigo e discípulo direto de figuras históricas como Debbie Harry, Alice Cooper, Johnny Thunders, Joey Ramone e Stiv Bators, entre tantos outros nomes mais. Reza a lenda, inclusive, que foi ele quem prestou toda a assistência a Stiv Bators em seus dois últimos anos de vida.

Diga-se de passagem que neste malfadado meio artístico poucos podem se dar ao luxo de ser tão bem relacionados como nosso artista o é. Seja nos EUA, seja na Finlândia ou em qualquer canto da Europa ou do mundo, raras são as notícias de alguma rusga sua - aliás, seu único desafeto conhecido foi com o guitarrista Steve Stevens, com quem tocou o projeto Jerusalem Slim; ademais, são poucos os que como ele conseguem concatenar correntes tão distintas entre si pelo puro e simples amor ao rock'n'roll.

Prova disso é sua estreita relação com os Guns N'Roses, banda notória pelas inúmeras desavenças internas entre seus antigos integrantes e o vocalista Axl Rose. Todos, sem exceção, amam, admiram e respeitam Michael Monroe, haja vista suas participações nos discos Use Your Illusion (sax e harmônica em “Bad Obsession”) e Spaghetti Incident (cantando “Ain’t It Fun”, dos Dead Boys), e é claro, suas inúmeras jam sessions com Slash, Duff e cia espalhadas pelos youtubes da vida.

Uma estrada que não para

Se os anos 90 foram bons, embora às vezes turbulentos, os anos 2000 prometiam. Em 2001, após um reencontro com seu velho parceiro, o guitarrista Andy McCoy, o Hanoi Rocks volta à ativa. De 2002 a 2009 lançam três ótimos discos e um dvd gravado ao vivo, para enfim encerrarem mais este capítulo.

Certa feita, em 2010, após dividir o palco com os New York Dolls - que contavam em suas fileiras com os préstimos do ex-Hanoi Rocks, Sammi Yafa, no baixo; Monroe convida tanto Yafa quanto o guitarrista Steve Conte para fazerem alguns shows. A ideia deu tão certo que rendeu o primoroso disco Sensory Overdrive, em agosto de 2011, o qual alem do repertório de pedradas sonoras do início ao fim, conta com participações de Lemmy Kilminster e da cantora country Lucinda Williams. Não obstante, Michael Monroe e sua banda fizeram até uma bem sucedida tour com o Motörhead pela Europa.

Assim sendo...

É certo que os fãs mais ardorosos de Guns N'Roses podem até chiar, mas verdade seja dita: Michael Monroe põe Axl Rose no bolso! Sim, ambos têm a mesma idade e pertencem a uma mesma geração, mas enquanto o americano se oxidava em termos artísticos, profissionais e, por que não, físicos, o europeu soube como poucos administrar sua carreira e sua figura pública, apesar dos revezes ao longo dos anos. O resultado disso pode ser conferido ao vivo.

Mas afinal, quem cargas d'água é Michael Monroe? Ora, é só um sujeito que todo bom curtidor de rock deveria conhecer.

 

Agradecimentos: Costabile Salzano Jr. (theultimatemusic.com) e Juliana Lorencini (metalrevolution.net)

FOTO por Juliana Lorencini

 

Motorvatin’

 

 

Tragedy

 

 

Up around the bend

 

 

People Like me

 

 

A Day Late Or Dollar Short

 

 

Fashion

 

 

Trick of the wrist

 

 

78

 

 

Motorvatin + Hammersmith Palais @ Inferno

 

 

I Wanna be Loved (Johnny Thunders) @ Inferno

 

 

Bama Lama Loo, Look at you etc - feat. Eduardo Martinez [Flaming Sideburns](jan. 2012)

 

 

+ resenha

Michael Monroe no Inferno

25/4/2012

"Me I'm just a rock'n'roll singer"

Por Gustavo Carneiro/ http://rocknrollhell.blogspot.com.br/

 

Sexta-feira dia 25 de maio, Michael Monroe (ex. Hanoi Rocks) fez uma apresentação memorável no clube Inferno em São Paulo dentro da festa Glam Nation. Com muita gente vestida como se estivéssemos na Sunset Strip em L.A. nos anos 80, o clima na casa estava ótimo para o que viria a seguir. Depois de uns sons de percussão, Michael abriu o show com "Trick of the Wrist" boa canção do seu mais recente disco "Sensory Overdrive". Depois de mais duas músicas do "Sensory..."o que vimos foi uma sucessão de canções que repesentam o que há de melhor no Glam Punk. Clássicos do Hanoi Rocks como "Motorvatin´", "Malibu Beach Nightmare" e clássicos da carreira solo de Mr. Monroe como "Dead, Jail or Rock ´n´ Roll" e "Not Fakin´It" levaram o público ao delírio. Além disso no set, teve espaço para covers de Johnny Thunders & The Heartbreakers e The Stooges e uma citação a "The Message", clássico do Grandmaster Flash.

Michael Monroe demonstrou que além de bom vocalista é um entertainer de primeira, com uma movimentação invejável e boa comunicação com a platéia.

Quem não foi, perdeu um ótimo show e uma aula do melhor do Glam Rock.

 

Set List:

1. Trick of the Wrist

2. Got Blood

3. Modern Day Miracle

4. Motorvatin' (HANOI ROCKS)

5. Hammersmith Palais (DEMOLITION 23)

6. '78

7. All You Need

8. Nothin's Alright (DEMOLITION 23)

9. Not Fakin' It (NAZARETH)

10. Superpowered Superfly

11. Bombs Away

12. I Wanna Be Loved (JOHNNY THUNDERS & THE HEARTBREAKERS)

13. Mystery City

14. Malibu Beach Nightmare (HANOI ROCKS)

15. Dead, Jail or Rock 'n' Roll

Bis:

16. Taxi Driver (HANOI ROCKS)

17. 1970 (I Feel Alright) (THE STOOGES)


 
 Links relacionados 
· Mais sobre Rock Press
· Notícias por admin


As notícias mais lidas sobre Rock Press:
Tudo que você queria saber sobre o U2


 Opções 

 Imprimir Imprimir


Tópicos relacionados


Desculpe, comentários não estão disponíveis para esta notícia.

Todos os Direitos Reservados Portal Rock Press ©

PHP-Nuke Copyright © 2005 by Francisco Burzi. This is free software, and you may redistribute it under the GPL. PHP-Nuke comes with absolutely no warranty, for details, see the license.