Bem vindo a portal rock press 21 anos!
  Olá Anônimo!
Busca  
sobre algo: Sobre The Weeknd
Sexta-feira, 1 de Junho de 2012 (0:10:59)



Toda semana tem sete dias, mas só em dois deles nós nascemos pra existir



 


 

SOBRE THE WEEKND

Por Marcelo Shaw


A noite é uma mulher desconhecida com maquiagem demais, em seus grandes peitos visões daquilo que está ali só pra lembrar que as estrelas não brilham por ninguém e são só a vida explodindo por sua clavícula. Nosso sonho jovem de correr até o oceano e nadar até o outro lado morreu afogado, agora vivemos no cinismo. O espírito evaporou para o paraíso com medo das luzes dos carros, tudo na cidade padece não em gritos, mas em sussurros e gemidos por longas sinfonias hipotéticas. O relógio começa com você, por sua infalibilidade bíblica começamos nosso evangelho de questionamentos, nunca pedimos para existir no presente sempre constante. Não há existência no passado, não vemos o futuro e essa distância é nossa cruz. Com os braços estendidos tentamos alcançar o corpo da noite, mas nossas mãos estão pregadas. Então só observamos seu doce beijo deixando traços de batom nas luzes de néon enquanto tomamos mais uma dose. 

Chovia mais cedo quando o telefone tocou, do outro lado nada além de ruídos conseguiram fugir. No instante em que botamos nossa roupa, nunca vamos ser tão estilosos quanto o mundo espera. E então alcançamos a rua através de nuvens de fumaça e multidões dispersas. O coração foi substituído pelo mais lento e massacrante romantismo e disso fizemos nosso lar, moramos do lado de fora da casa. Os rostos passam com tanta pressa e seus nomes desconhecidos ecoam por nosso cérebro até que cada pessoa seja esquecida com a velocidade dos carros passando contra os postes de luz. Os passos disfarçam os pensamentos, temos todas as frases perfeitamente ensaiadas, o sangue sendo bombeado provavelmente mais rápido do que deveria não tem nada a ver com o que colocamos nele. É só um acidente, mas, de novo, o que não é acidental? Até o ponto em que esquecemos o que estamos falando, perdemos contato com nossos olhos e tudo só evapora.

A propósito de nada, tudo volta. Nossos desejos não condizem com qualquer noção de realidade, que porra aquelas garotas fazem com os rapazes com barba de pentelho? Paranóia nos espelhos do banheiro até os narizes sangrarem de vertigem por estarmos na porra do mundo o tempo todo. As batidas desaceleram, há uma porra dum espaço tão longo em cada respirada, a Terra aproveita cada segundo pra dar mais uma volta no sol e nada nessa porra desse universo constantemente expandindo pra esquerda aparentemente parece capaz de te trazer um pouco mais pra perto de mim. Eu afastaria uma cadeira pra você sentar e olharia pro Mar Morto em seus tão vivos olhos e saberia que nunca tive uma chance. Então dançaríamos e então não mais. Até você tirar sua atenção e eu não conseguir tirar minha carência. Até o ponto em que tudo quebra e meu corpo inteiro rejeita qualquer comando do meu cérebro e o pânico subitamente começa a se esgueirar por cada canto escuro da festa até eu não ter nenhuma outra escolha além de me isolar em mim mesmo.

A música se arrasta e é impossível não começar a questionar o sentido de Deus. São nas noites que sentimos sua raiva em toda sua totalidade. Seus braços nos pressionam contra a terra e isso só pode ser o inferno. Sua boca sopra o vento que nos encolhe de frio e o mais inalterado terror, que nos isola e nos deixa sozinhos. Com tudo piscando aceleradamente, percebemos que a manhã só trará a ressaca. Não há fim. Nunca houve. Repetição até exaustão, batendo e batendo contra a própria cabeça. Todas as frases ensaiadas agora se perdem e o improviso não é tão bem aceito pela crítica. O peso do mundo pesa demais por vezes, todas essas merdas. Onde está Deus? Devemos perseguir algum Deus? Pelos caminhos da água da chuva correndo no asfalto seguimos até encontrar o paradeiro de Deus? Nos rostos de centenas garotas diferentes há algum traço que nos lembre de Deus? Pessoas não existem no mundo, pessoas existem na porra dos nossos cérebros. Deus não existe. Quem é Deus? Eu sou Deus. Deus não existe?

Abel Tesfaye, eu te entendo perfeitamente.

 


 
 Links relacionados 
· Mais sobre Rock Press
· Notícias por admin


As notícias mais lidas sobre Rock Press:
Tudo que você queria saber sobre o U2


 Opções 

 Imprimir Imprimir


Tópicos relacionados


Desculpe, comentários não estão disponíveis para esta notícia.

Todos os Direitos Reservados Portal Rock Press ©

PHP-Nuke Copyright © 2005 by Francisco Burzi. This is free software, and you may redistribute it under the GPL. PHP-Nuke comes with absolutely no warranty, for details, see the license.