Bem vindo a portal rock press 21 anos!
  Olá Anônimo!
Busca  
acepipes: The Damned
Quinta-feira, 12 de Abril de 2012 (3:53:17)

 

Um nome memorável em termos de pauleira bem feita, The Damned marcou seu nome na história justamente por ter conseguido ser original, mesmo com um repertório entupido de covers de clássicos do rock






 

THE DAMNED

Por Max Merege


The Damned - eis um nome memorável em termos de pauleira bem feita, ainda mais se ouvido com toda atenção nos dias de hoje, nos quais muito se exalta cabedal técnico, poses e demais supérfluos, em detrimento ao verdadeiro talento.

A banda marcou seu nome na história justamente por ter conseguido ser original, mesmo com um repertório entupido de covers (ou releituras, se é o caso) de clássicos do rock anteriores à sua existência.

Começaram mesmo em junho de '76, com Brian James (guitarra), Captain Sensible (baixo), Rat Scabies (bateria) e Dave Vanian (vocais). Fizeram sua primeira apresentação no mes seguinte, abrindo uma gig para os Sex Pistols no 100 Club, de Londres. Fora isso, é deles a primeira gravação do punk britânico, o single "New Rose".

Seus dois primeiros discos, Damned, Damned, Damned (fevereiro de 1977) e Music for Pleasure (novembro de 1977), ainda contavam com a assinatura do guitarrista Brian James em todas suas faixas. Tudo ia muito bem, até o dia em que as coisas escureceram na vida dos meninos... James saiu da banda e ainda segurou consigo o nome Damned, durante todo o ano de 1978. Mas como show que é show não pode parar, durante aquele ano Captain Sensible assumiu a guitarra, e para o baixo, uma participação mais que especial: Lemmy Kilminster (exatamente!); só que desta vez sob o nome de The Doomed.

Em 79, tão logo conseguiram de volta o direito de uso do nome "Damned", lançaram o disco Machine Gun Etiquette, que trazia clássicos como "Smash It Up", "I Just Can Be Happy Today" e "Love Song".

A década de 80 começou com a banda flertando fortemente com a new wave. O disco The Black Album (1980) e o epê "Friday 13th" (1981) são obras emblemáticas do período, já a partir daí inaugura-se um novo ciclo, uma fase que muitos chamam de "gótica" e outros, "death rock" mesmo.

Dave Vanian, que antes se caracterizava de Drácula, no melhor estilo Bela Lugosi, passava a adotar um visual mais próximo ao dos vampiros de Anne Rice. Desse tempo, podemos destacar a trilogia dark da banda: Strawberries (1982), Phantasmagoria (1985) e Anything (1986).

Entre '86 e '95 a banda não lançou mais nada de material inédito, apenas meia duzia de bons discos ao vivo e coletâneas a rodo. Sua volta aos estúdios deu-se com o disco Not of This Earth (1995), sucedido seis anos mais tarde por Grave Disorder.
Enfim, mesmo sem lançar material inédito com tanta frequência, o Damned se mantém firme e forte como uma das bandas mais cultuadas entre o punk e pós-punk, que muitos tentam imitar mas ninguém consegue causar tanto impacto.

Já foram regravados por muita gente importante, como Guns N'Roses, Die Toten Hosen, Hellacopters, Offspring etc. Podem até tentar copiar as linhas de bateria de Rat Scabies ou as guitarras de Captain Sensible (e o visual também! Vide o "novo" Supla!), mas não há quem cante como Dave Vanian, um híbrido "goth-punk" de Frank Sinatra e Jim Morrison. É ouvir para crer!

+ leia tambem a resenha do show do Damned em São Paulo AQUI




 
 Links relacionados 
· Mais sobre Rock Press
· Notícias por admin


As notícias mais lidas sobre Rock Press:
Tudo que você queria saber sobre o U2


 Opções 

 Imprimir Imprimir


Tópicos relacionados


Desculpe, comentários não estão disponíveis para esta notícia.

Todos os Direitos Reservados Portal Rock Press ©

PHP-Nuke Copyright © 2005 by Francisco Burzi. This is free software, and you may redistribute it under the GPL. PHP-Nuke comes with absolutely no warranty, for details, see the license.