Bem vindo a portal rock press 21 anos!
  Olá Anônimo!
Busca  
playlist: Nancyta
Domingo, 11 de Dezembro de 2005 (19:55:44)


A musa rock do Brasil compartilha conosco o disco virtual com as músicas mais importantes da trilha sonora de sua vida. Os Grazzers acabaram mas Nancyta cuida da produção de seu próximo disco. A baiana assina a direção musical e a produção do seu trabalho com o guitarrista Julio Moreno, ex-Crac!, lendária banda que ela liderou nos anos 90 e parceiro em móBraba, o único trabalho lançado do grupo. Por Cláudia Reitberger




Além disso, nossa workaholic dividiu com andré t a produção musical de Ativar Retrofoguetes!, o disco de estréia dos Retrofoguetes, banda baiana de surf instrumental (2005), e do EP O Maravilhoso Natal dos Retrofoguetes, que acaba de ser lançado em vinil, ambos pela Monstro Discos. Você também pode facilmente encontrá-la nas participações que faz nos shows dos caras.

A musa ainda encontra tempo para dar aulas de canto e preparação vocal e de participar com Rex, CH (ambos dos Retrofoguetes) e Enio (Enio e a Maloca) dos Maicols, banda que faz leituras rock de covers de Michael Jackson (!).


Cláudia Reitberger



“T.N.T.” - AC/DC
“Essa música está no High Voltage. Foi o meu primeiro disco do AC/DC, o tenho em vinil. Quando comprei tinha 12, ou 13 anos e já rolava o Back in Black, mas me apaixonei pelo Bon Scott num vídeo que vi no Som Pop, programa de clips que rolava na TV Cultura. Bem, o que se pode dizer de uma banda que faz a mesma coisa há 30 anos, tem um guitarrista completamente louco, com um timbre da porra e ainda leva um show de mais de duas horas sem parar, tocando como muita banda nova nem sonha em conseguir? It´s a long way.”

“I Can´t Explain” – The Who
“Perfeita pra manhãs, tardes ou noites. The Who é The Who. Tudo lindo, riffs, timbres, vozes.”

“Enter Sandman” – Metallica
“O Black Album é um marco na história do rock pesado e esse riff é muito bem construído, um hit absoluto como deve ser, tudo em seu devido lugar e, pra completar, é só começar a tocar o riff q todo mundo canta o refrão.”

“Invasion of the Body Snatchers” – The Dead Billies
“Cultuado hit que abre o histórico primeiro disco (Don´t Mess With The...) desse quarteto baiano que arrebentava onde chegava, fazendo shows explosivos de alto nível de competência, loucura e diversão. Quem viu, viu. Hey! Hey! Body Snatchers!”

“Tango Till The´re Sore” – Tom Waits
“Essa música tem uma melodia que dança magistralmente com o piano e o trombone. Um tango troncho, nada tradicional, a letra fala em tarantela, em New Orleans, em cubanos, em pesadelo. Sou fã absoluta de seu trabalho e minha vida pode ser dividida em antes e depois de Tom Waits. Fica difícil escolher uma música, Rain Dogs é um disco admirável, aliás, toda a sua obra. Grande!”

“Bridge Over Troubled Water” – Elvis Presley
“Melodia maravilhosa, letra linda. Uma balada de amor que emociona na voz de Elvis tanto quanto na voz de Johnny Cash. Pra completar, a cantei no casamento de minha irmã quando ela subiu de noiva no altar.”

“Sloop John B.” – Beach Boys
“Falar dos Beach Boys é falar do Pet Sounds, antológico álbum de 66, que provocou aquela famosa intriga entre os Beatles e os Beach Boys. Essa música foi também gravada por Ventures e Dick Dale. Eu a canto nos shows dos Retrofoguetes numa versão mais parecida com a de Dick Dale.”

“Bang Bang” – Nancy Sinatra
“A balada do início de Kill Bill é uma canção linda. Guitarra com trêmulo e voz, tudo bem baixinho. É massa de cantar também. Nancy é minha xará, filha do homem, tem uma voz feminina diferente. Aliás, falando dela, gravei no EP dos Retrofoguetes uma versão de ‘These Boots are Made For Walkin´’.”

“I Can´t Hardly Stand It” – The Cramps
“Genial! Toskera, simplicidade, minimalismo. Lux Interior canta como se estivesse tendo uma crise de asma e soluço. Bad Music for Bad People é um disco massa, malucão e simplão.”

“Rock This Town” – Stray Cats
“Rockabilly explosivo, guitarra inquieta recheada de reverb, os Stray Cats são mestres. Personalidade e energia nesse álbum de 1981, que também tem músicas como Runaway Boys’, ‘Stray Cat Strut’, ‘Rumble in Brighton’, todas clássicas. Brian Setzer é um guitar hero como poucos, possui uma orquestra genial. Muito bom!”

“1969” – The Stooges
“Eu nem tinha nascido e Iggy Pop já estava aloprando. Essa música mostra porque muitos o consideram o precursor do punk.”

“Four Sticks “ – Led Zeppelin
“Oh Baby baby, how do you feel? Jimmy Page em melhor forma, Robert Plant cantando como nunca. Eu simplesmente adoro essa música desde a minha adolescência e a explicação é a mais óbvia. É uma música difudê.”

“Ace of Spades” – Motörhead
“Lemmy é um dos caras mais cascudos do rock. É feio, desdentado e toca um Rickenbaker, ícone-mór dos baixos de rock sujo. Uma banda que tem o nome de “cabeça motor” e um hit como esse não precisa de mais nada. Quando tocamos essa música com os Grazzers, seja lá onde estivermos, rola uma roda gigante e todo mundo se emociona.”

“Slow and Easy” – Whitesnake
“Clássico do hard rock, essa música traduz bem o clima do disco que eu mais gosto do Whitesnake. Slide it In tem tudo que um bom disco de hard rock tem direito, é bem feito e tem o Coverdale na melhor fase, Cozzy Powell na batera e John Sykes na guitarra.”

“God of Thunder” – Kiss
“Do álbum Destroyer, clássico do Kiss, de 75. É considerado até hoje o melhor disco da banda. Escolhi essa música por que ela é sombria. Tinha medo dela quando eu era criança. Só pra constar, tenho todos os discos do Kiss em vinil (até o Animalize) e meu apelido era Nankiss.”

“Ashes to Ashes” – Faith No More
“Não podia faltar alguma coisa de Mike Patton nessa minha lista. Um dos melhores cantores de rock que eu já ouvi, só que é um louco incompreendido que só faz o que quer, desde coisas ininteligíveis até projetos recheados de referências sixties e ‘sinátricas’. Essa música é linda, tem uma melodia maravilhosa e está num disco do Faith No More que os rock pula-pula odeiam: Album of The Year. Eu adoro.”

“Sabotage” – Beastie Boys
“A música é incrível, o baixo faz o riff em acordes distorcidos e a guitarra fica sempre numa nota só. Tandam! tandam! Aí começa tudo de novo. É uma música muito divertida e os Beastie Boys traduzem bem o que eu sinto pela década de 90. Ill Communication veio dois anos depois de Check Your Head e Sabotage é a prova de que eles não param nunca.”

“3 por 4” – Patife Band
“Patife Band é uma obscura banda de rock atonal do meio/final da década de 80. Liderada por Paulo Barnabé, gravou apenas dois discos, viajou pouco e hoje, esporadicamente, ainda rola algum show em São Paulo ou no Paraná... Essa música nervosa, do Corredor Polonês, é quase totalmente instrumental com influências do free jazz. Nas pequenas partes da música que contém letra (curtinha e caceteira), influências do punk e hardcore. Clima ácido e tenso.”

 
 Links relacionados 
· Mais sobre Rock Press
· Notícias por admin


As notícias mais lidas sobre Rock Press:
Tudo que você queria saber sobre o U2


 Opções 

 Imprimir Imprimir


Tópicos relacionados



Re: Nancyta (Pontos: 1)
por josealsanne em Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2006 (23:40:26)
(Informações do usuário | Enviar uma mensagem) http://www.pittybr.com
A Nancy é foda, sou apaixonado pelo CD dos Grazzes (2002), músicas de alta qualidade, músicas inteligentes, Rock do bom msm.
Tomara q seu novo projeto seja bom tb!!!
To mt ancioso pra conferir!!!!



Todos os Direitos Reservados Portal Rock Press ©

PHP-Nuke Copyright © 2005 by Francisco Burzi. This is free software, and you may redistribute it under the GPL. PHP-Nuke comes with absolutely no warranty, for details, see the license.